Cidades


Notícias



Colunistas


Notícias

Líder em pesquisa, Isidório tem passagem polêmica na Câmara Federal

O deputado federal Pastor Sargento Isidório (Avante) surpreendeu o mundo político ao parecer em primeiro lugar na pesquisa de intenção de voto do Instituto Paraná/Bahia Notícias para a prefeitura de Salvador. E, para isso, já está "causando" na Câmara Federal com projetos de teor controverso em seu primeiro mandato. As matérias protocoladas tratam de religiosidade e questões de gênero, entre outros temas. Propostas que, aliás, são semelhantes às que foram defendidas pelo hoje presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), durante quase três décadas de parlamento. Nesta semana, o parlamentar apresentou na Câmara Federal um projeto de lei nº 4773/2019 que visa proibir "crianças e adolescentes em danças eróticas, com ou sem letras musicais pejorativas, com duplo sentido, que estimule, incentive ou faça apologia à sexualização precoce no âmbito de escolas públicas ou privadas, em programas de TV ou quaisquer outros ambientes públicos". O deputado coloca como exemplo de músicas que devem ser banidas o hit "Rala a tcheca no chão", do Black Style.

 

O evangélico também quer instituir o "Dia Nacional do Orgulho Heterossexual", a ser comemorado anualmente no terceiro domingo de dezembro (PL 925/2019). "A presente proposta visa resguardar direitos e garantias aos heterossexuais de se manifestarem e terem a prerrogativa de se orgulharem da sua biologia, natural e Deista e não serem discriminados por isso", descreve na justificativa. Ele também apresentou a PL 1239/2019, que visa proibir a "aplicação de recursos públicos" no que ele chama de "ações de difusão, incentivo e valoração da ideologia de gênero". 

O parlamentar também quer declarar o evento "Marcha Para Jesus" bem Imaterial e Cultural da Nação Brasileira e autoriza a destinação de recursos públicos das esferas Municipal, Estadual, Distrital e Federal para apoio na realização do evento. Na justificativa, ele descreve que o evento "levou 3 milhões de pessoas às ruas para louvar, reconhecer e consagrar o Senhor dos Exércitos – JESUS - como único e suficiente Salvador do mundo."

Isidório também quer proibir o uso o nome e/ou título "BÍBLIA" ou "BÍBLIA SAGRADA" em qualquer publicação impressa e/ou eletrônica com conteúdo (livros, capítulos e versículos) "diferente do já consagrado há milênios pelas diversas religiões Cristãs (Católicas, Evangélicas e outras que se orientam por este Livro - Bíblia)". O deputado justifica o projeto, entre outras coisas, com base na publicação uma "bíblia gay", que segundo ele "pretende tirar as referências que condenam o homossexualismo". O parlamentar não foi encontrado para comentar os projetos.Tribuna


Categorias

Bahia Brasil Política

Enquete


PodCast