Cidades


Notícias



Colunistas


Notícias

Flacidez: Ataque Triplo Para Acabar de uma Vez Com Ela

A flacidez é uma problema que incomoda muita gente. Quem nunca encolheu o braço na hora de dar tchauzinho que atire a primeira pedra. E apesar de ter suas influências genéticas e hormonais, se não cuidarmos, com o tempo a pele e os músculos perdem tonicidade e elasticidade. Além disso, o ganho de peso é pior ainda: a gordura acumulada é mais uma vilã e contribui para o efeito “tudo caído”.

Contudo, adotar os hábitos alimentares, exercícios e tratamentos certos vai ajudar, e muito, a combater a flacidez corporal de forma eficiente. Conversamos com uma nutricionista, um educador físico e um médico para descobrir as novidades e métodos eficazes para você vencer essa batalha. Vem com a gente! E se prepara porque este vai ser o seu verão.

A alimentação contribui para a flacidez
Mesmo que indiretamente. A inflamação crônica, presente no organismo de muita gente e causada pela má alimentação, dificulta a renovação celular. “E reduz as atividades funcionais das células dos tecidos dérmico e subcutâneo, comprimindo vasos sanguíneos e linfáticos”, alerta Juliana Pandini, nutricionista e especialista em nutrição esportiva. “Causa, além da flacidez, celulite, deposição de gordura em diversas células, acne e envelhecimento precoce”, complementa.

 

É claro que os fatores genéticos, hormonais e sedentarismo também têm sua parcela de culpa. Mas os maus hábitos alimentares enchem o nosso prato (e corpo, consequentemente) de toxinas e substâncias inflamatórias e pronto: ponto para a flacidez (tanto cutânea quanto muscular, viu!) e o envelhecimento precoce.
Alimentos antioxidantes contribuem para combater a flacidez. Imagem: reprodução/shutterstock
Como solução, o jeito é cortar alguns alimentos do cardápio mesmo. “Os embutidos (como a salsicha), as carnes gordas, o leite integral, os doces e refrigerantes, alimentos refinados (como a farinha e o açúcar brancos) e os enlatados, além de serem pró-inflamatórios, tendem a acidificar o organismo”, explica. Que tal dar adeus aos industrializados em geral e começar a consumir mais alimentos naturais?

O problema é que as prateleiras dos mercados podem nos enganar, alerta a nutricionista. “Alguns alimentos pouco calóricos apresentam um teor tóxico elevado — oriundo de corantes, conservantes, agrotóxicos, fertilizantes, metais pesados, hormônios e medicamentos”. Com isso, dá-lhe efeito reverso: eles acabam promovendo um maior ganho de peso do que se você optasse por alimentos ricos em energia, mas dotados de propriedades funcionais anti-inflamatórias e antioxidantes.

“Nesse sentido, o consumo de gelatina dietética pode realmente engordar mais do que o de abacate”, confirma Juliana. Viu como nem tudo na vida se resume em contar e cortar calorias?


Frutas vermelhas e as cítricas são ótimas fontes de antioxidantes para combater a flcaidez. Imagem: reprodução/shutterstock

Quem já ficou nessa posição sabe o que é parar no tempo, não é mesmo? Mas a questão é que ela ajuda a combater a flacidez. Imagem: reprodução/shutterstock
Ponte ou prancha ventral – 3 séries de 30 segundos

O que trabalha: exercício que serve como estabilizador, e é excelente para trabalhar a musculatura profunda do abdômen e quadril.

Como fazer: em um colchonete com a barriga para baixo, apoie seus cotovelos; eles devem ficar alinhados com os ombros.

Depois eleve o quadril, mantenha-se apoiada apenas pelas pontas dos pés e pelos cotovelos.
Contraia bem o abdômen. O quadril deve ficar alinhado com o tronco (nunca levantado demais e nem muito para baixo). 

Abdominal mobilizador de tronco – 3 séries de 15 a 20 repetições cada

O que trabalha: reto abdominal, oblíquo interno e externo.

Como fazer: apoie as costas no colchonete e coloque as mãos atrás da cabeça ou os braços cruzados no peitoral. Apoie os pés no chão e os traga para perto dos glúteos, de modo que os joelhos fiquem flexionados.

Eleve o seu tronco em sentido aos joelhos, e retorne lentamente à posição inicial. 

Para os glúteos: 

Não tem problema: não precisa começar com um peso desses! O exercício é bom para combater a flacidez dos glúteos. Imagem: reprodução/shutterstock
Agachamento livre com barra – 3 séries de 12 repetições cada

O que trabalha: quadríceps, posteriores de coxa, panturrilhas, glúteos, abdominais e paravertebrais.

Como fazer: afaste as pernas depois da linha dos ombros, com as pontas dos pés levemente para fora. Mantenha a coluna ereta e abdômen contraído.

Agache jogando o quadril para trás. À medida que for descendo, incline um pouco o tronco para frente.

Mais um muito bom para a flacidez dos glúteos. Imagem: reprodução/shutterstock
Afundo com halteres — 3 séries de 12 repetições cada

O que trabalha: quadríceps, posteriores de coxa, panturrilhas, glúteos, abdominais e paravertebrais.

Como fazer: inicie em pé com um halter em cada mão, com uma das pernas à frente do corpo, de maneira que quando você flexionar o joelho, ele forme um ângulo de 90º.

Flexione o joelho e desça lentamente e em seguida retorne próximo à posição inicial.

O pé da frente deve ficar totalmente apoiado no chão, enquanto o de trás deve permanecer com o calcanhar elevado.

 


Categorias

Bahia Comportamento Curiosidades Recôncavo Saúde

Enquete


PodCast