Cidades


Notícias



Colunistas


Notícias

GRAMÁTICA COTIDIANA: POR QUE desejamos saber O PORQUÊ das coisas, mesmo PORQUE esse é o nosso intento? Poderia nos dizer o POR QUÊ?

Por ANTONIO MASCARENHAS

Volta e meia, no dia a dia, deparamo-nos diante da necessidade de construção de frases, seja na forma coloquial (oralidade), seja durante a escrita. Temos, por exemplo,  que escrever diariamente para o site Tvsaj.com.br. Erramos "pra caramba". Muitos desses erros (em parte) por conta do teclado americano do notebook. Caracteres de pontuação e sinalização em posições diferentes: uma merd.... Afora isso, erros de concordância, sintaxe, regência etc. O chato é quando os erros aprecem nos títulos das matérias. Estamos, sempre, propensos a esses deslizes. mesmo porque a gramática é, convenhamos, complicada, depois de tantas reformas. Mesmo na condição de leigos (a essência fica a cargo dos professores, nas escolas, nas universidades da vida), tentaremos, dentro do possível, semanalmente, trazer à baila situações que possam, de alguma forma contribuir para o esclarecimento de eventuais dúvidas, reinantes no nosso cotidiano Trabalhar com sites, fazendo Cont+C (copiar) e Cont+V (colar), é fácil. Se os autores errarem, você acaba cometendo o mesmo deslize por "solidariedade". O pior é que até os grandes meios de comunicações erram. O importante é "NÃO TER MEDO DE ERRAR". Em sites, facebook, etc, se você erra, vai lá e conserta ao perceber ou quando alguém liga. Até aí, tudo bem. Agora, em jornais impressos a coisa fica mais difícil. 

Nesse primeiro enfoque, o uso do POR QUEPOR QUÊ, PORQUE, PORQUÊ  

POR QUE

Por que (separado e sem acento) - É sempre utilizado no inicio de uma frase, na confecção de um questionamento, de uma pergunta. Ex:  Por que chegastes tão tarde? Por que não passou, primeiro, no supermercado? Por que não viajou mais cedo?  Por que não aproveita o tempo e viaja? 

POR QUÊ

Por quê (separado e com acento circunflexo) no final de frases que tenham apenas um ponto (final, interrogativo, exclamativo,...) depois dele. Ex: Você vende a ilusão de que Santo Antonio de Jesus é detentor do comércio mais barato da Bahia, por quê? Você não foi para a escola por quê

PORQUE

O “porque” junto é uma conjunção que indica causa, motivo, justificativa ou explicação. Em orações substantivas causais (O Pedro vai à praia porque está bom tempo), explicativas, conclusivas. Um exemplo: "Eu não fui à escola porque estava doente". De acordo com o professor, "porque estava doente" é a oração que indica a razão pela qual ele não foi. Nesses casos, o “porque” é junto e sem acento. Não apoio determinados políticos porque eles, depois de eleitos, não correspondem aos interesses do povo. 

É conjunção causal ou explicativa, com valor aproximado de “pois”, “uma vez que”, “para que”.

Exemplos: Não fui ao cinema porque tenho que estudar para a prova. (pois)
Não vá fazer intrigas porque prejudicará você mesmo. (uma vez que)

PORQUÊ

Porquê (junto e com acento) é usado para indicar o motivo, a causa ou a razão de algo.Usamos PORQUÊ (junto e com acento circunflexo) quando essa palavra for usada como substantivo e for antecedida por artigo.  Aparece quase sempre junto de um artigo definido (o, os) ou indefinido (um, uns), podendo também aparecer junto de um pronome ou numeral. Porquê pode ser substituído por: ... a razão. O Bahia está caindo pelas tabelas. Acontece que não sei o porquê desse declínio. O Vitoria sempre está na zona de baixamento. Você pode me dizer o porquê dessa performance? 

É substantivo e tem significado de “o motivo”, “a razão”. Vem acompanhado de artigo, pronome, adjetivo ou numeral.

Exemplos: O porquê de não estar conversando é porque quero estar concentrada. (motivo)
Diga-me um porquê para não fazer o que devo. (uma razão)

 


Categorias

Curiosidades Educação GRAMÁTICA: Escrita e Oralidade Opinião

Enquete


PodCast