Cidades


Notícias



Colunistas


Notícias

A diferença entre PESCADORES e ALIMENTADORES de "ILUSÕES"

 

Por ANTONIO MASCARENHAS

A MÁGICA DA ILUSÃO, NO SENTIDO UTÓPICO

A ilusão é um estado de espirito alimentado no sentido de que, por exemplo, uma civilização possa ser vista como ideal, fantástica, imaginária. Trata-se, na verdade, de um plano que, a princípio, parece ser irrealizável. Em suma, um sonho não materializado, um devaneio. Acontece que, no dia a dia, aqui ou acolá, as pessoas se "alimentam" desses sonhos, dessas fantasias, nas diversas esferas.  Faz parte da existência humana, caminhar, sempre em busca da materialização de seus desejos, mesmo que, no fundo, sejam "intangíveis", voláteis.  Todavia, não fossem esses sonhos, não estaríamos, nós todos, a desfrutar de tantas conquistas, de tantos inventos que foram fruto, ao longo da história, oriundos de mentes pródigas que colocaram suas ideias à prova. 

VISIONÁRIOS

A utopia é, convenhamos, o alimento daqueles que, no dia a dia, são tachados como "visionários". Visionários são aqueles que são detentores de ideias inovadoras que eclodem do senso comum ou fruto de experimentos científicos. Para muitos, ideias extravagantes, incomuns e que em momento algum possam ser materializadas. Para eles, as tendências ou conceitos estão a frente do seu tempo. Utópicos, visionários, quando imbuídos de ideias construtivistas e destituídas de oportunismo, são sempre importantes no seio de uma sociedade em transformação. 

ALIMENTADORES DE ILUSÕES (na política, no desporto, na religiosidade...)

Em que pese as críticas, quase sempre "jocosas", que pairam sobre pessoas que, no seio da sociedade, são tachadas como utópicas, visionárias, não poderíamos nos furtar a trazer à baila questões inerentes aos "ALIMENTADORES DE ILUSÕES", encontrados facilmente em todos os rincões do planeta, deste pais e, por extensão, também, em Santo Antonio de Jesus. E esses "mercenários das ilusões" são encontrados nas esferas políticas, esportivas, culturais e religiosas, dentre outras. 

Sempre nos deparamos com pessoas que, "experts" na "arte de ludibriar" utilizando-se de técnicas de persuasão demagógicas, oportunistas, vendem, literalmente, "ilusões" no intuito, unicamente, de saciar seus planos, seus "projetos" de cunho pessoais. Por trás desses planos "miraculosos", geralmente, "engendrados" por esses "sedutores da boa fé", desses artífices, existem propósitos de obtenção de lucros, de vantagens pecuniárias. Felizmente, existem, em todas as áreas, exceções. 

Aqui ou acolá existem "orientadores" que tentam mostrar aos pais que determinados jovens, por exemplo, podem se tornar craques de futebol, lá frente, mesmo sabendo que os mesmos, em que pese treinamentos, não demonstram afinidade, destreza e interesse pelas atividades treinadas. Verdadeiros "pernas de pau". Iludidos, determinados pais, à luz da persuasão protagonizada por esses "treinadores" acabam acreditando e investindo numa modalidade em que os alunos não demonstram habilidade e, o que é mais importante, interesse em aprender, a ponto de (quem sabe), exercerem profissão ou, até mesmo, para o lazer. 

Na esfera político-partidária, acontece a mesma coisa, de forma "draconiana". A maioria dos partidos, no intuito de eleger determinados nomes (geralmente detentores de melhores condições de apoio), utilizam-se de outros nomes apenas "como enchimento de linguiça". Primeiro, para atingir o número de candidatos necessários à legenda e, em segundo, para "alimentar", para servir de "escada" aos nomes que, "a priori", poderáo ser  eleitos com esses votos. Acontece que muitos desses "candidatos gravetos", geralmente, recebem promessas de cargos nas administrações. Diante da ilusão "plantada" de que poderiam ser eleitos, embarcam na "canoa", elegendo nomes para, depois, ficaram a "ver navios". Isso em todos os partidos. 

Mas, afora esses "MERCADORES DA ILUSÃO", a utopia, mesmo que, para alguns, mostre-se intangível, alimenta os anseios dos visionários que veem, por trás do horizonte, por trás das cortinas, a materialização de seus anseios. Consubstanciado nessa premissa, selecionamos a linda música 'PESCADOR DE ILUSÕES" do cantor compositor RAPPA. Na letra ele profetiza: "Se meus joelhos, Não doessem mais...  Diante de um bom motivo, Que me traga fé, Que me traga fé... , Se por alguns Segundos eu observar, E só observar A isca e o anzol...;  O mar escuro  Trará o medo Lado a lado  Com os corais  Mais coloridos... Valeu a pena... Êh! Êh! ...Valeu a pena Êh! Êh!;  Sou pescador de ilusões... . Em que pese os "alimentadores de ilusões de plantão", é possivel, sim, acreditar em nossos sonhos. Portanto, pesquemos nossas ilusões, todavia, com critérios. Inserção de imagens ilustrativas, google. Veja  LETRA completa em LEIA MAIS. 

“PESCADOR DE ILUSÕES” (RAPPA)
Se meus joelhos 
Não doessem mais 
Diante de um bom motivo 
Que me traga fé 
Que me traga fé... 

Se por alguns 
Segundos eu observar 
E só observar 
A isca e o anzol 
A isca e o anzol 
A isca e o anzol 
A isca e o anzol... 

Ainda assim estarei 
Pronto pra comemorar 
Se eu me tornar 
Menos faminto 
E curioso 
Curioso... 

O mar escuro 
Trará o medo 
Lado a lado 
Com os corais 
Mais coloridos... 

Valeu a pena 
Êh! Êh! 
Valeu a pena 
Êh! Êh! 
Sou pescador de ilusões 
Sou pescador de ilusões...(2x) 

Se eu ousar catar 
Na superfície 
De qualquer manhã 
As palavras 
De um livro 
Sem final! Sem final! 
Sem final! Sem final! 
Final... 

Valeu a pena 
Êh! Êh! 
Valeu a pena 
Êh! Êh! 
Sou pescador de ilusões 
Sou pescador de ilusões...(2x) 

Se eu ousar catar 
Na superfície 
De qualquer manhã 
As palavras 
De um livro 
Sem final! Sem final! 
Sem final! Sem final! 
Final... 

Valeu a pena 
Êh! Êh! 
Valeu a pena 
Êh! Êh! 
Sou pescador de ilusões... 

Valeu a pena 
Êh! Êh! 
Valeu a pena 
Êh! Êh! 
Sou pescador de ilusões 
Sou pescador de ilusões... 

Valeu a pena 
Valeu a pena 
Sou pescador de ilusões 
Valeu a pena 
Valeu a pena 
Sou pescador de ilusões 
Sou pescador de ilusões 
Valeu a pena!...

 


Categorias

Arte e Cultura Bahia Brasil Comportamento Curiosidades Opinião Política Religiões

Enquete


PodCast