Em grupos do WhatsApp, caminhoneiros pedem intervenção militar